Entre com seu login

Não é cliente?

Cadastre-se
Texto alternativo Banner PCH Americana

Banner PCH Americana

Saiba mais

PCH Americana

Vertimento de Macrófitas

A Pequena Central Hidrelétrica (PCH) Americana, também conhecida como Usina Hidrelétrica de Salto Grande, é operada pela CPFL Renováveis, tem capacidade instalada de 30 MW, com três unidades geradoras de energia, e seu reservatório ocupa uma área de 11,92 Km².

O aporte de altas cargas orgânicas neste reservatório, devido ao processo de uso e ocupação da bacia do rio Atibaia, resulta na degradação da qualidade ambiental da bacia e cria condições favoráveis para a colonização por macrófitas aquáticas - mais popularmente conhecidas como plantas aquáticas - de parte do espelho d’água da represa de Salto Grande.

A diminuição da proliferação e do acúmulo dessas plantas podem ser realizados por alguns métodos de manejo, como a remoção mecânica, o deplecionamento do reservatório, vertimento controlado, controle químico e biológico. Todos esses métodos foram e continuam sendo estudados e aprimorados pela CPFL Renováveis por meio do Plano de Manejo de Macrófitas Aquáticas. Atualmente, a PCH Americana realiza regularmente a remoção mecânica das plantas do reservatório e, em dezembro, obteve autorização da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB) para realizar o vertimento dessas plantas pela barragem de Salto Grande. O processo será realizado no período chuvoso e terá duração de até 60 dias, com início das atividades em 05/02/2024.

A manobra de vertimento controlado envolve a abertura da comporta de superfície da PCH Americana, com uma saída controlada de água, onde as plantas aquáticas seguem o fluxo natural, chegando no rio Piracicaba já quebradiças, o que reduz significativamente sua capacidade de sobrevivência e reprodução. Vale ressaltar que as macrófitas liberadas pela PCH Americana são diferentes das que já existem no rio Piracicaba. Elas são mais frágeis, ocorrem em baixas proporções ao longo do fluxo principal do rio e têm uma baixa probabilidade de se proliferar descontroladamente.

Mediante o vertimento a CPFL realizará um monitoramento ambiental no rio Piracicaba, durante todo o processo, a fim de comprovar a manutenção dos padrões de qualidade da água e usos do rio, principalmente nas áreas de captação para abastecimento, como o Departamento de Água e Esgoto (DAE) de Americana e Serviço Municipal de Água e Esgoto (SEMAE) em Piracicaba.

Caso tenha alguma dúvida, entre em contato com a equipe da CPFL Renováveis através do e-mail: [email protected] ou celular: (11) 94111-3890

 

Macrofitas Aquáticas e Vertimento Controlado

Abaixo estão duas explicações em vídeo: sobre macrofitas aquáticas e  vertimento controlado.

FAQ

    O aporte de altas cargas orgânicas neste reservatório, devido ao processo de uso e ocupação da bacia do rio Atibaia, resulta na degradação da qualidade ambiental da bacia hidrográfica e cria condições favoráveis para a colonização de macrófitas aquáticas - mais popularmente conhecidas como plantas aquáticas - de parte do espelho d’água da represa de Salto Grande.

    As macrófitas aquáticas são, em sua grande maioria, vegetais terrestres que ao longo de seu processo evolutivo, se adaptaram ao ambiente aquático, por isso apresentam algumas características de vegetais terrestres e uma grande capacidade de adaptação a diferentes tipos de ambientes (o que torna sua ocorrência muito ampla).

    Vertimento controlado consiste na abertura da comporta de superfície da PCH Americana, com uma vazão controlada da água, na qual o aguapé também segue o fluxo natural, chegando ao rio Piracicaba já quebradiços e com baixíssimas condições de sobrevivência e reprodução. As plantas vertidas neste processo são diferentes das que já existem no rio, possuem cores verdes mais escuras e estão na grande maioria danificadas, já as que são presentes no rio, possuem tom de verde mais claro, estão inteiras sem ou com poucos danos nas folhas e estão encostadas nas margens do rio.

    Para diminuir a proliferação e acúmulo localizado dessas plantas.

    O vertimento foi autorizado por um período de até 60 dias corridos, iniciado em 05 de fevereiro de 2024. A atividade é realizada apenas em dias úteis, mediante avaliação diária das condições ambientais e operacionais.

    Não, as plantas aquáticas serão vertidas de maneira controlada no período chuvoso. Ao mesmo tempo, a CPFL Renováveis realizará monitoramento ambiental para comprovar a normalidade da qualidade da água e manutenção dos seus usos diversos.

    Não, após o vertimento, as partes quebradiças das plantas aquáticas seguirão o fluxo natural do rio. Com a quantidade conduzida diariamente e a correnteza do rio, elas vão seguir o percurso em algumas horas, sem afetar as atividades desenvolvidas ao longo do rio. 

    Há um limite reduzido de plantas a serem vertidas diariamente, assim como há uma vazão adequada do rio Piracicaba que dê condições do rápido escoamento dessas plantas. Também estão sendo feitas análises de água ao longo do rio Piracicaba para comprovar a manutenção dos padrões de qualidade da água e seus usos.

    A CPFL Renováveis se mantém a disposição para esclarecimento de dúvidas nos canais de atendimento: [email protected] ou celular: (11) 94111-3890.