Entre com seu login

Não é cliente?

Cadastre-se

Geramos Energia Limpa

A diversidade de geração de energias limpas e renováveis que alcançamos nas últimas décadas é um orgulho para nós. Nada menos que 96% de nossos produtos oferecidos aos nossos clientes são de fontes limpas, sem prejuízo para o aquecimento global e sem a destruição de recursos naturais.  

Não por acaso, estamos em terceiro lugar em energia privada do país e somos uma das líderes de produção renovável. Temos uma capacidade instalada em todas as nossas usinas de 4,53 GW de geração. O que isso significa? Que temos uma produção suficiente para abastecer, durante trinta dias, uma vez e meia, toda a cidade de São Paulo.  

Nossas empresas – CPFL Renováveis e CPFL Geração 

CPFL Renováveis 

Nós, a CPFL Renováveis, somos uma empresa geradora de energia limpa a partir de fontes renováveis e estamos presentes nos quatro tipos principais de produção sustentável: eólica, PCH (pequenas centrais hidrelétricas), termelétricas movidas a cana-de-açúcar e solar.  

Nascemos em 24 de agosto de 2011, com 652 MW de capacidade instalada, a partir da fusão de ativos da Empresa de Energias Renováveis (IERSA) com os ativos renováveis da CPFL Energia S.A. Desde o início de nossas operações, somos líderes na geração de energia por meio de fontes renováveis, com 94 ativos, que somam mais de 2,1 GW de capacidade instalada, distribuídos por 58 municípios em oito estados brasileiros, do Nordeste ao Sul.  

CPFL Geração  

Atuamos como concessionária do serviço público de geração de energia elétrica. Fomos constituídos como CPFL Geração no ano de 2000 e reunimos em nossa empresa duas Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs), duas usinas termelétricas (UTEs) e um parque gerador com oito usinas hidrelétricas (UHEs) em operação.  

Em 2018, alcançamos um recorde de disponibilidade em nossa usinas, graças à otimização de processos de operação e manutenção, capacitação das equipes e aplicação de novas tecnologias de monitoramento, diagnóstico e manutenção preventiva.  

Em média, nosso portfólio alcançou 91% de disponibilidade, com destaque para as usinas termelétricas e hidrelétricas, que registraram o índice de 97%. Com isso, ocupamos a posição de terceira maior geradora privada do país e uma das líderes em energia renovável, com atuação em fontes hidrelétrica, eólica, biomassa e solar.  

Ao longo dos anos, nos preparamos para atender ao crescimento do mercado de energia brasileiro. E com preocupação constante em atrelar consciência ambiental com a crescente demanda por energia. Uma das maneiras que encontramos para fazer isso é orientar nossas estratégias para aquisições e empreendimentos ambientalmente eficientes, sob um portfólio que chega a ser 96% composto por fontes limpas e renováveis. 

    O que fazemos de energia renovável 

    A expansão de nossos parques de produção de energia representa diversos benefícios para a população nos estados onde atuamos. Um estudo da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) mostra que a construção de pequenas centrais hidrelétricas, parques eólicos e usinas solares tem uma série de impactos socioambientais positivos.  

    Primeiro, contribui com a estratégia de redução de emissões proposta na Política Nacional sobre Mudança do Clima (PNMC). Depois, promove a geração de empregos diretos e indiretos. Não só isso. Complementamos a oferta de nossas usinas hidrelétricas com condições favoráveis para termos energia durante os períodos de estiagem.  

    De acordo com a Análise Socioambiental das Fontes Energéticas do PDE 2031– EPE, de janeiro de 2022, temos capacidade instalada de fontes de 32.048 MW, divididos nos segmentos de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) e Centrais Geradoras Hidrelétricas (CGHs), Eólica e Solar. Nossa capacidade instalada para 2031 será de 49.185 MW.  

    Nesse contexto, praticamos uma política de investir apenas em fontes renováveis de geração, em uma estratégia totalmente direcionada. Temos como foco projetos e aquisições que somam acréscimo de 3.400 MW. As oportunidades que mapeamos são avaliadas criteriosamente, consideramos os impactos do preço da energia e a estratégia de alocação de capital com disciplina financeira traçada pelos nossos acionistas.  

    Em 2021, por meio da nossa empresa CPFL Renováveis, concluímos a construção do Complexo Eólico Gameleira, no Rio Grande do Norte, com 81,65 MW de capacidade instalada, distribuídos em quatro parques eólicos e 23 aerogeradores. 

    Tudo isso mostra que estamos sempre com planejamento para o futuro, de olho em um mundo mais sustentável para todos. 

    Drone hidroeletrica
    hidroeletrica
    Hidroeletrica de noite

    Energia hidrelétrica 

    O nosso potencial total instalado de energia hidrelétrica é de 2,47 GW e estamos presentes em seis estados brasileiros – Minas Gerais, Mato Grosso, São Paulo, Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, Ceará, Rio Grande do Norte e Goiás. Temos oito usinas hidrelétricas em operação (1,99GW), 47 Pequenas Centrais Hidrelétricas (0,48GW) e 1 PCH em construção (28MW), que se chamará PCH Cherobim. 

    Somos líderes em número de barragens do setor elétrico brasileiro. A Usina Hidrelétrica Serra da Mesa é a maior do país em volume de reservatório, com 54,4 bilhões de m³. O vertedouro da Usina Foz do Chapecó é formado por quinze comportas que escoam a água do reservatório não utilizada para geração de energia. Sua capacidade máxima de descarga se aproxima do volume de vazão da maior usina hidrelétrica em operação no Brasil, a binacional Itaipu – a diferença é de 100 m³/s. 

    A nossa Usina Campos Novos tem barragem com cerca de 202 metros de altura. Assim, é a segunda mais alta do tipo enrocamento com face de concreto do país. Sua crista tem 592 metros de comprimento. Com um reservatório de 29 km², apresenta um dos melhores coeficientes de eficiência energética do país, que é obtido pela razão entre potência instalada e área inundada. 

    Energia eólica 

    O parque eólico que montamos nas últimas décadas tem capacidade para gerar esse tipo de energia em três estados brasileiros. Possuímos nada menos que 49 parques em operação, que produzem 1,4 GW e possuem cerca de 700 aerogeradores em operação.  

    Energia de biomassa 

    Trabalhamos com geração de energia a partir de biomassa de modo bastante expressivo. Estamos presentes em quatro estados brasileiros (São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Norte), com oito usinas em operação e produção de 370,0 MW, a partir de quinze unidades geradoras. 

    Energia solar 

    Esse tipo de energia é de grande interesse para nós e temos planos de expansão nos próximos anos nas regiões onde atuamos. No momento, geramos energia solar em um estado (São Paulo), com uma usina em operação, cuja produção está em 1,1 MW. 

    Energia térmica 

    A produção de energia térmica por nós se dá em um estado brasileiro, onde operamos com suas usinas térmicas e 40 unidades geradoras.  

    Energia do bem 

    Você sabe o que é energia limpa? É a que nós, CPFL, levamos para a sua casa. Sua fonte está em qualquer matéria-prima – inclusive sol e vento – que não emite poluentes na atmosfera e gera um mínimo impacto ambiental, diferentemente do que acontece com as energias geradas por queima de combustíveis ou de carvão vegetal, por exemplo. Significa que não é prejudicial à natureza.  

    Seu uso, portanto, não implica no esgotamento de recursos da Terra. Os principais exemplos são a hídrica (hidrelétrica), eólica, solar, nuclear, geotérmica, maremotriz e de biomassa, entre outras. A energia limpa contribui para a utilização de fontes renováveis. Além dos recursos utilizados serem disponíveis sempre, inesgotáveis, não provoca aumento do dióxido de carbono (CO2) na atmosfera, não emite gases de efeito estufa ou agrava o aquecimento global.  

    Esse tipo de energia, enfim, contribui para a qualidade de vida da população porque não gera gases poluentes ou resíduos prejudiciais à saúde das pessoas e auxilia na preservação do meio ambiente. Tanto que ajuda na descarbonização do ar. Tudo isso só é possível com investimento em uma infraestrutura necessária de produção, o que nós, a CPFL Energia, temos feito constantemente. 

    Embora gere eletricidade de modo simples, eficiente e não prejudicial à natureza, cada tipo de energia limpa tem sua particularidade. Por causa de suas características geofísicas, o Brasil faz uso maior de energia hidráulica –  sua produção chega a 61% do consumo. Em seguida, vem a eólica (9%). Depois, aparecem biomassa (8%), nuclear (1%) e solar (1%), de acordo com levantamento de 2019.  

    O Brasil se coloca em um contexto em que a produção energética mundial é composta por 16% de energia hidráulica, 10,6% de nuclear, 4,9% de solar, eólica, geotérmica e maremotriz e 2,2% de biomassa. Assim, a matriz energética brasileira é a terceira mais limpas do mundo, atrás somente da China e dos EUA. Nos últimos anos, têm sido feitos investimentos para acelerar o desenvolvimento e a utilização de fontes como a energia eólica e solar. 

    Energia hidrelétrica 

    É gerada a partir da retenção de água em rios, por meio de represas e barragens. A força da queda das águas quando liberadas faz mover as turbinas dos geradores. Principal fonte de energia utilizada no Brasil, pode enfrentar problemas provocados por secas e estiagens, o que pode reduzir a produção e exigir que se busque formas complementares de abastecimento.  

    Energia eólica 

    Vem da força do vento, que faz girar enormes cataventos (aerogeradores) e leva à produção de energia pelos moinhos de sua base. O processo utiliza equipamentos capazes de converter de modo simples, rápido e não poluente energia cinética em mecânica e a mecânica em elétrica. Essa forma, porém, depende de locais que possuem bons ventos.  

    Energia solar 

    Sua captação se dá pelo uso de painéis. Há duas formas de se utilizar a energia do Sol: a fotovoltaica e a térmica. Sua viabilidade é grande porque vem de um recurso natural disponível o tempo todo, mesmo com chuva, quando apenas tem sua capacidade reduzida. O único inconveniente é sua aquisição por residências e pequenos estabelecimentos, por causa do custo que ainda é elevado e sem incentivos públicos.  

    Energia nuclear 

    Mais usada na Europa, onde não há quantidade de rios suficiente para alimentar usinas hidrelétricas, é considerada energia limpa, sim. Faz uso do urânio e do tório como recursos para a geração de energia. Ao contrário do que se pensa, esse processo de produção não é semelhante ao de combustíveis fósseis, pois, ao contrário destes, não liberam gases de efeito estufa na atmosfera, embora possuam alto risco de acidentes. Atua independentemente de fatores climáticos, mas apresenta um custo mais alto. 

    Energia de biomassa 

    Nesse tipo, a transformação em energia se dá partir da queima de matérias orgânicas como o bagaço da cana-de-açúcar, madeira e óleos vegetais. O biogás é obtido pela conversão do lixo orgânico em gás. O biocombustível vem da transformação de produtos agrícolas em combustível. Uma desvantagem nesse tipo de fonte é o fato da sua produção interferir no consumo de água e na ocupação de locais que poderiam ser utilizados para o cultivo de alimentos.